Mas, por onde começar?

Algumas dicas de como começar a ser mais consciente ao consumir.

Sabemos que ir contra o consumo desenfreado e as tendências de moda não é fácil, afinal vivemos nesse sistema e crescemos acreditando que comprar é sinônimo de satisfação.

Então, por onde começar?

Repense, entenda e questione-se

Vale sempre pensar: será que realmente preciso de tudo o que compro?

Não trata-se de deixar de consumir, mas podemos pensar duas vezes antes de comprar e se for realmente necessário, termos critérios para a escolha da marca.

Por isso, antes de se deixar seduzir por alguma promoção, é melhor dar uma olhadinha no guarda-roupa e conferir se realmente está faltando alguma coisa. Lembre-se: reflita e repense seus atos!!

Além disso, é fundamental entender todo o contexto e processo de produção da moda. Busque informações e questione, pois existem muitas marcas grandes criando estratégias de marketing para parecer mais “verde”, mas que no fundo, de verde só tem a cor da peça. Certifique-se e seja curioso. Não aceite respostas pela metade!

Reinvente-se e faça durar as peças que você já tem

Calma, não precisamos nos desfazer de todo guarda-roupa porque a maioria das peças vem de marcas fast fashion. Afinal, os impactos  para a produção destas roupas já foram gerados e jogá-las fora não seria a solução, contribuindo apenas para o aumento da produção de lixo. É nosso dever amenizar  esses danos!

 Faça suas peças durarem ao lavar menos e preferindo utilizar água fria ou morna. O jeans, por exemplo, não precisa ser lavado constantemente. Evite secadoras e sempre verifique as instruções indicadas nas peças (mais da metade da energia usado no ciclo de vida do algodão vem dos processos de lavagem e secagem).

Outra dica é customizar e reformar suas roupas. Aprenda a costurar ou visite a costureira do bairro. Existem vários projetos legais como a Costureirinha que organiza oficinas de costura e o projeto Re-Roupa, da Gabriela Mazepa, que ministra oficinas ensinando a técnica de upcycling (transformar resíduos em novos produtos). O pinterest também é uma ótima ferramenta para encontrar inspirações de projetos e tutoriais ao estilo “faça você mesmo”.

Antes de comprar, verifique se não há outras alternativas

Hoje encontramos várias alternativas bacanas que incentivam o consumo consciente sem precisar comprar algo novo. Há inúmeros brechós, feiras e eventos de troca de roupas e oficinas de customização e upcycling.

Confira uma lista incrível no nosso site www.slowdownfashion.com.br 🙂

Trocas de roupas e histórias

A troca de roupas vem ganhando visibilidade por conta do lançamento de aplicativos e sites que incentivam essa prática. O Projeto Gaveta nasceu com o intuito de difundir o conceito de clothing swap (troca de roupas). Todo ano acontece uma edição e participar do evento é uma experiência que vai muito além da roupa.

Outro bom exemplo é o aplicativo Tradr, o “tinder de roupas usadas”, em que você troca sua roupa com alguém que também curtiu a sua peça.

Receber roupas de amigos e familiares que estão se desfazendo de peças que não usam mais é uma outra forma de aproveitar itens que estava em desuso e além disso, que trazem  consigo as histórias e o carinho de cada pessoa querida que lhe presenteou com a peça.

Se for comprar, opte por peças de qualidade e feitas localmente

Quando for comprar, escolha produções pequenas e que utilizam tecidos naturais ou reciclados (orgânicos, se puder). Busque peças com maior qualidade e versatilidade. Opte por modelos clássicos ao invés de tendências de moda passageiras,  contribuindo para um guarda-roupa mais durável.

Incentive produções artesanais, que utilizam técnicas tradicionais ou locais e que apoia a diversidade cultural.

Lembre-se  que cada gesto conta! 🙂

Para inspirar: texto sobre Lowsumerism da agência Box1824.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *